domingo, 28 de maio de 2017

Passar ou não passar, eis a questão!

Uma hora eu vou ter que encarar a roupa! AFF!!!
Estava acabando de arrumar a casa depois de um sábado cheio de crianças em casa, coloquei a roupa para lavar e olhei para o varal cheio! Minha nossa! Preciso tirar a roupa do varal... E lembrei que o armário estava tão cheio de roupa para passar que era melhor deixar a roupa ainda mais uma noite no varal!
Confesso: esse ato foi LIBERTADOR!
Mas... agora me pergunto: o quanto procrastinar pode ser bom ou ruim?
Pense no momento e em mais dois dias pra frente. Dá para eu fazer algo mais interessante do que passar a roupa de 15 dias hoje? SIM!!!! Eu queria parar e escrever para você!
E foi o que eu fiz. Larguei tudo lá e vim para minha missão: escrever para que amanhã de manhã você tenha algo para ler de interessante...
Mas aonde Luciana é interessante saber que você deixou a roupa para passar sem passar?
Porque eu sei que você pensa em fazer várias vezes isso e algumas delas até faz o que eu fiz, mas sente um incômodo depois porque aquilo faz parte da sua rotina e não há nada que te liberte da tal da roupa!
Então vai aqui meu conselho de amiga-mãe-mentora-coach-etc-etc-etc:
Procrastine apenas o que não vai te fazer bem! Procrastine por uma razão realmente importante! Mas não deixe criar em sua vida um acúmulo enorme de atitudes e ações que possam atrapalhar o andamento da seu desenvolvimento e bem-estar pessoal!
Mude sempre que precisar se sentir mais feliz e escolha o momento certo para as tarefas chatas! Eu, por exemplo, deixo para passar a tal da roupa quando quero muito acabar de ver o seriado “Supernatural”. Porque então tenho uma boa desculpa para não ceder a minha hora de TV para o “Cartoon” ou para o “The Walking Dead”! Então, a roupa passa mais rápido por mim do que o seriado, já que afinal, ele ainda não teve seu último episódio!
Seja feliz! Seja você! Seja melhor! E se precisar de uma mãozinha para tomar a decisão certa, me mande um zap ou uma mensagem no Facebook, eu tenho certeza que vou te ajudar a tomar a melhor decisão visando a sua própria felicidade!
Luciana Carlos
Telefone: (21) 97632-7275
Facebook: @lucianacarlosrj
Instagram: lucianacarlosrj


Esperando você para o meu programa: Mãe com “M” Maiúsculo !


quarta-feira, 24 de maio de 2017

Mamãe Cacique

A gente costuma passar por várias fases estranhas na nossa vida. Definitivamente a mais reconstrutiva é quando você recebe seu filho nos braços pela primeira vez. E aí, não se engane, nada será como antes.

Eu cresci cada dia desde que o Lucas nasceu e depois cresci mais ainda quando o Diego nasceu, com todas aquelas restrições de leite, soja, ovo, traços e etc. etc. etc.

Mas o que vou compartilhar agora é uma novidade que tenho feito aqui em casa e deu um resultado fantástico. Coisa de mãe cacique!

A gente sabe que criança deixa tudo espalhado, o quarto desarrumado e uma confusão na casa. A mãe fica doida e passa todos os dias mandando guardar e arrumar, guardar e arrumar, juntar e organizar....

Eu vivi uma experiência fantástica num curso da Abracoaching esse fim de semana, em que achei a minha tribo. Como assim? Conheci um monte de gente que gosta de ajudar e quem recebe ajuda ou palpite sem achar que o outro pode estar querendo alguma vantagem... Toda mãe tem um pouco disso, principalmennte quando vê outra mãe em apuros, não é mesmo?

Então, importei esse contato para casa. Aqui é minha tribo, e resolvi dar de presente a cada um dos meus filhos sua própria aldeia. Eu vou passar o que acredito ser bom para eles na aldeia deles, mas deixei para eles a responsabilidade de arcar com as consequências de deixar a aldeia deles bagunçada (aldeia é quarto, tá gente?).

Então combinei assim, eles tem que restringir a bagunça e as coisas espalhadas dentro da aldeia deles, mas quando for área comum da tribo ele tem que respeitar os outros índios e os caciques (mãe e o pai). kkkkk

Não sei vai dar certo, mas sei que vou parar de me incomodar porque eles não querem ter uma aldeia organizada como a minha. Não vai demorar para eles perceberem que algumas coisas vão ter que organizar ou aprender a produzir dentro daquela bagunça que fizeram. Essa é a versão mamãe louca.

Mas isso seria deseducar? Penso que não, isso é começar a ensinar a eles a pensar em quanto esse ou aquele ato ou jeito de ser pode impactar positiva ou negativamente a vida deles.

Imagina se tem um trabalho para nota que eles tem que entregar e que está perdido na aldeia? E eles tem que achar hoje, entre 7 e 7:15 porque tem que ir para o colégio? Garanto que a lição de enlouquecer tentando achar algo importante fará com que pensem que trabalhos e materiais de estudo não pode ficar na parte zoneada da aldeia, não é mesmo?

E aqui você passa a ser a mãe observadora...

E se eles convidam um amigo para jogar video-game e o controle está quebrado, porque ficava no chão da aldeia foi pisado e quebrou? Eles vão ter que repensar mais um item da aldeia, porque afinal só quem perde com o controle quebrado são eles mesmos!

E aqui você será a mãe que exercita o "não fazer por eles"!

Então começamos bem certos por aí! Em vez de obedecer esperneando e fazendo cara feia para arrumar o quarto porque a mãe pediu, eles vão ter que repensar se vale a pena mudar seus hábitos e comportamentos, e tenho certeza que vão aplicar isso na vida deles, seja em que aspecto for.

Fica a dica de uma mãe de 2, tia de 20, madrinha de 7! E que venham mais índios para a minha aldeia! Quanto maior a tribo, melhor!


sexta-feira, 19 de maio de 2017

Mão multitarefa!

Pensava esse dias em como vivi ansiosa nos primeiros anos como mãe e como eu consegui administrar as limitações da idade e condição especial de cada um dos meus filhos para eles se tornarem felizes, estarem conectados com o mundo, me terem como amiga, como mãe e como parceira de luta. Até mesmo aquela guerra de jiu-jitsu na cama. rsrs
Como eu consegui organizar a rotina deles e administrar meu tempo para trabalhar, cuidar deles, e ainda estudar sobre muitas coisas. Entre elas saber tudo sobre alergia alimentar, podendo dar uma qualidade de vida ao meu filho Diego de 8 anos, portador de alergia alimentar. Como? Porque eu otimizei meu tempo para que tudo sobre a rotina dele fosse fácil de levar no dia a dia.
Então hoje olho pra trás e digo Ufa! Eu consegui! Tenho conhecimento, tenho realização pessoal e profissional, sou livre da culpa de estar longe.
Consegui um trabalho em home office de maneira que eles sempre estejam por perto!
Um livro bom para você se conectar bem com seu filho e entender o que ele sente e pensa:
Por dentro da cabeça do seu filho.
#lucianacarloscoach #maecommmaiusculo #sejamulher #seguiremfrente


terça-feira, 16 de maio de 2017

Pesquisa para pais e mães - pode me ajudar só um pouquinho?


Queria muito ajudar pais e mães, e te convido a responder a essa pequena pesquisa para que eu possa começar já! Lado a lado, juntos e unidos!

Clique no link e responda uma pergunta rápida! É muito importante para mim!

Quero ajudar e responder a pesquisa bem rapidinho!

Um abraço bem forte!

Luciana Carlos